As próteses totais (TPs) e as próteses parciais removíveis (PPR) - Essay Marketplace

As próteses totais (TPs) e as próteses parciais removíveis (PPR)

As próteses totais (TPs) e as próteses parciais removíveis (PPR) continuam a ser o tratamento mais utilizado na reabilitação de pacientes edêntulos totais ou parciais.
 
Assim, as próteses removíveis são atualmente consideradas muito importantes para a vida dos pacientes, uma vez que lhes permite recuperar a função mastigatória e melhorar a estética da boca. Portanto, as próteses dentárias devem cumprir os princípios de funcionalidade, retenção, suporte, estabilidade, fixação e estética. O último está recebendo consideração significativa no contexto social. Hoje em dia, o paciente não só procura resolver a substituição dos dentes, mas também procura uma maior estética no tratamento, é assim que o sorriso atraente tornou-se a aspiração da maioria dos pacientes que necessitam de tratamento protético

Esta pesquisa pode ser determinante na vida pessoal e profissional do paciente, portanto, a harmonia estética, juntamente com os aspectos funcionais, deve ser acompanhada por um bom trabalho final pelo dentista.

O profissional deve considerar aspectos como a anatomia fisiológica do rosto e os princípios artísticos no momento da realização da prótese removível, a fim de restaurar a aparência natural e um sorriso harmonioso para o paciente.

II.- Objetivos

*O presente estudo tem como objetivo realizar uma revisão da literatura sobre o papel e influência da estética relacionada à reabilitação de pacientes com próteses removíveis.

*Determinar os aspectos estéticos na reabilitação oral, que contribuem para um melhor resultado final em próteses removíveis.

*Conhecer uma avaliação adequada e diagnóstico facial, para orientar o trabalho de reabilitação oral.

III.- Material e Métodos

Para a realização deste trabalho foi utilizado os motores de busca Pubmed, ScienceDirect, e Scielo para realizar a recolha de artigos. Para tal, acedeu-se nos motores de busca determinadas expressões relacionadas com Prótese Removível e estética. Todas elas confrontadas com as palavras-chave de base: Removable total denture, Removable partial denture, dental prothesis, Acrylic denture, estética,etc. Foram retirados artigos num intervalo entre 2001 e 2017, em língua inglesa, português e espanhol. Para além disto também foram consultados livros relacionados com o tema.

A pesquisa foi realizada entre os meses de Novembro de 2017 e Janeiro de 2018 tendo sido recolhidos cerca de 80 artigos, dos quais foram selecionados 24 artigos.

Como critério de inclusão foram selecionados artigos publicados a partir do ano 2001, todos os artigos anteriores ao ano 2001 foram excluídos.

IV.- Resultados

A beleza é uma busca contínua tanto para homens como para mulheres, uma vez que é considerado um atributo positivo para a entrada na sociedade em qualquer área. (1)

O rosto é uma área importante e um meio de comunicação não verbal que tem um papel significativo nas emoções mais do que qualquer outra parte do corpo, o rosto se comunica, revela e exibe instantaneamente estados emocionais. (1)

Uma vez que a boca está localizada em um dos pontos focais do rosto, o sorriso corresponde a uma expressão facial associada a estados positivos do ser humano, constituindo uma característica essencial na determinação de um rosto bonito. A boca é uma parte importante do terço inferior do rosto, é considerado o centro da comunicação. A boca e os olhos são as primeiras estruturas faciais que se recebe quando se encontram com uma pessoa.(1)

Portanto, sorrir é uma das expressões mais importantes do rosto e é vital para a expressão de diferentes emoções, como alegria e aceitação social.

Um sorriso é um dos gestos que as pessoas percebem para definir um clima, resolver uma transação comercial ou começar uma fale com alguém. Portanto, é importante e benéfico para um indivíduo ter o sorriso mais saudável e bonito.

O sorriso é considerado hoje como uma expressão facial muito importante para a beleza do rosto em jovens e adultos.

Ao longo da história, padrões de beleza foram estabelecidos. No entanto, esta é uma propriedade subjetiva, determinada pelos aspectos culturais e influenciada pelo meio ambiente. A ciência que busca estudar beleza é a estética. Desde o início de sua existência, o ser humano tem buscado constantemente a beleza e o que é considerado bonito na natureza, tentando imitá-lo através da arte, seja na pintura, na escultura, na música, na literatura, etc.

Alexander Baumgarten, filósofo alemão, em 1753, sistematizou a filosofia da beleza e chamou-a de “estética” (derivada do grego: estética), que é definida como “o ramo da filosofia que relaciona a essência ea percepção da beleza e da beleza a feiúra “

A Real Academia da língua espanhola define a estética como “harmonia e aparência agradável aos olhos, que tem alguém ou algo do ponto de vista da beleza”.

O mesmo se aplica à odontologia, embora o termo estética dentária seja devido a Pilkington, que em 1939 a define como “a ciência de copiar ou harmonizar nosso trabalho com as estruturas dentárias circundantes e harmônicas resultando em um trabalho bonito, expressivo e imperceptível”. (1)

A demanda dos pacientes em consultórios odontológicos para obter um sorriso bonito por tanto está aumentando nos últimos anos, porque estamos numa fase em que o paciente está cada vez mais preocupado com sua beleza pessoal e com a necessidade de alcançar um rosto bonito.

Razão pela qual os pacientes vão ao dentista em muitas ocasiões para buscar uma melhor no rosto dele. Por esta razão, é importante que o profissional conheça a importância que os pacientes dão ao sorriso, de tal forma que o dentista pode entender as necessidades e exigências do paciente de hoje.

A percepção estética varia de pessoa para pessoa, sendo influenciada pela experiência e pelo ambiente pessoal. Por esta razão, as opiniões profissionais sobre a avaliação da estética facial podem não coincidir com as percepções e expectativas dos pacientes, mesmo quando coincidem na decisão, as decisões estão sujeitas aos custos envolvidos. Por isso é de vital importância um bom entendimento durante o processo. (1)

Durante o dia-a-dia da vida profissional do dentista, ele deve enfrentar o desafio de dar a melhor solução às demandas de seus pacientes, assim é como se torna uma necessidade para os clínicos ter o conhecimento e os métodos objetivos para uma adequada avaliação estética.

A perda de dentes ocorre, por motivos de acidentes, doenças periodontais, cáries dentárias, trauma e a iatrogenia ou lesões, as pessoas sofrem perda de dentes, o que leva à interrupção da saúde e um bom sorriso, desencadeando uma sobrecarga nos dentes remanescentes, alterações de plano oclusal, perda de rebordo alveolar e perda de outros dentes, criando-se assim um ciclo vicioso.

Mas, devido à medicina moderna e tecnologia de ponta, um sorriso pode ser recuperado. E aqui falamos sobre próteses dentárias, que são responsáveis por substituir dentes perdidos para restaurar a funcionalidade mastigatória.

Atualmente, os pacientes edêntulos não querem apenas recuperar a funcionalidade, mas em muitos casos a recuperação ou a melhoria da estética é mais importante. Portanto, agora vemos que a estética em pacientes que necessitam de tratamento protético recebe uma quantidade considerável.

A reabilitação de um paciente desdentado é um processo que exige um diagnóstico adequado para um trabalho bem sucedido. Os médicos dentistas devem estudar todos os aspetos com cuidado e seguir os passos para determinar o tratamento adequado.

A fabricação de uma prótese removivel é um processo que requer o nosso conhecimento da anatomia do maxilar, os músculos extra e intraorais, e as características ideais do mesmo, como escolher e preparar peças pilares, e perceção da estrutura de suporte da prótese para assegurar ao paciente as funções mastigatória, fonética e estética .A prótese representa “a parte terapêutica cirúrgica que tem por objetivo recolocar, mediante uma preparação artificial, um órgão perdido totalmente ou em parte, ou ocultar uma deformidade”.

As PPR’s são aquelas que têm por finalidade substituir, funcional e esteticamente, os dentes naturais ausentes em pacientes dentados, podendo ser removidas e reposicionadas na boca, sempre que necessário, sem causar danos na sua estrutura ou na dos elementos biológicos com os quais diretamente se relacionem.

A estética nos últimos tempos é a razão de maior procura para a reabilitação. Para se conseguir uma reabilitação mais estética, deve-se incorporar aos trabalhos protéticos detalhes que os tornem imperceptíveis. Assim sendo, quanto menor a possibilidade de notar sua presença, melhores resultados serão obtidos.

A prótese removível é um tratamento largamente utilizado como alternativa às próteses parciais fixas convencionais ou sobre implantes. Sua reconhecida reversibilidade, simplicidade e rapidez de confecção, além do custo relativamente baixo, constituem vantagens importantes que justificam a alta demanda por este tipo de intervenção. Além destas características, quando bem planejada e executada, proporciona satisfatório restabelecimento funcional e estético, conservação dos dentes remanescentes e preservação do rebordo alveolar. Todos estes fatores tornam a isto uma opção viável de tratamento para praticamente todos os pacientes desdentados.

A protese removível se subdivide em prótese total ou parcial, isto é, se a dentadura suprir a ausência de todos os dentes do paciente se considera que é uma prótese total. Se, por outro lado, for apenas para suprir a ausência de apenas alguns dentes, esta prótese é denominada de parcial.

A.-Totais: reabilitação de toda a arcada

É uma prótese removível que substitui todas as peças dentárias de um arco, superior ou inferior, e a estrutura de suporte necessária. As próteses convencionais completas são feitas para pacientes que perderam todos os dentes ou que têm que remover as peças que ainda deixaram. Dentro da gama de próteses completas, incluem sobredentaduras. Um tipo de prótese que se encaixa sobre os dentes remanescentes ou sobre implantes dentários.

Como todos os tratamentos, a prótese completa tem suas vantagens e desvantagens. Por um lado, permite ao dentista modificar quase tudo o que o paciente quer do seu sorriso. Por outro lado, depois de perder os dentes, as características naturais do sorriso desaparecem e a aparência dos dentes é esquecida. É por isso que é necessário trabalhar lado a lado com o dentista para alcançar a imagem desejada.

B.-Parciais: reabilitação de uma parte da arcada.

De acordo com Segundo Kaiser, uma PPR para exercer um bom funcionamento deve respeitar os três princípios biomecânicos, de Retenção “resistência às forças que atuam sobre uma prótese no sentido cervico-oclusal”, Suporte “resistência às forças que atuam sobre uma prótese no sentido ocluso-cervical”, e Estabilidade “resistência ás forças que atuam sobre uma prótese no plano horizontal”.

As Indicações da PPR são:

-Repor alguns dentes num quadrante ou nos dois quadrantes da mesma arcada;

-Servir como prótese provisória para repor dentes perdidos em uma criança (se necessário um novo aparelho para acompanhar o crescimento da criança)

-Repor dentes que faltam a pacientes que não toleram tratamentos longos como os de prótese fixa ou implantes;

– Permitir que o paciente mantenha uma boa higiene oral;

-Questões financeiras (as próteses removíveis são, por norma, mais acessíveis que os tratamentos fixos);

-Em casos de excessiva perda óssea, onde a colocação da prótese fixa ou

implantes, pode levar a comprometimentos estético não aceitáveis

B.1 Tipos de próteses removíveis

B.1.1 Próteses Acrílicas

As próteses acrílicas são os tipos mais comuns de próteses produzidas, tanto para desdentados parciais ou totais .A retenção destas próteses na boca dos pacientes é feita através de uma pelicula de secreção de saliva que é desenvolvida entre a prótese e os tecidos moles do paciente, um desenho preciso e um bom ajuste da prótese são necessários, de forma a permitir que a pelicula de secreção se desenvolva.

As próprias estruturas e dentes remanescentes participam na retenção, também se recorre ao uso de ganchos de aço inoxidável à volta dos dentes pilares de modo a aumentar a retenção.

A caracterização das bases das próteses removíveis com resinas acrílicas de tonalidades mais semelhantes ao tecido gengival do paciente possibilitam melhor resultado estético e consequentemente favorecem a aceitação desde tipo de próteses pelos pacientes.

A resina acrílica é o material de eleição na confeção de próteses dentárias removíveis. Estas devem preencher alguns requisitos básicos, como ser insípida, inodora, não toxica, não irritante para os tecidos bucais, insolúvel na saliva ou qualquer outro fluido corporal. Devem apresentar um comportamento estável em termos dimensionais e manter a cor ao longo do seu uso.

B.1.2.-Prótese Esquelética

Por regra geral utilizam como material para a sua construção, ligas com bases de cobalto, por estas serem compatíveis com os tecidos e resistentes à corrosão. A sua dureza e elasticidade permitem uma configuração estética, fina da prótese.

As ligas de cromo cobalto foram introduzidas no mercado da prótese dentária em 1930, desde então substituíram as ligas de ouro, sobretudo devido ao seu custo relativamente baixo em relação ao ouro.

B.1.3.-Prótese Removível Flexível

Trata-se do uso e aplicabilidade de um material injetado termicamente (poliamida), que assegura que o mesmo se torne flexível. Atualmente são comuns os anúncios sobre PPR flexível em jornais, revistas e páginas de Internet. Apesar de alguns profissionais questionarem o seu uso, sua popularidade tem vindo aumentar.

A grande questão deste tipo de estrutura é a sua flexibilidade, que contraria totalmente os conceitos das PPRs convencionais. Estas próteses sãos constituídas a partir de dentes utilizados em PPR, associados a uma resina termoplástica que, quando aquecida por volta dos 300ºC, entra num estado plástico e de seguida é injetada para o interior da mufla do próprio sistema. Existe cada vez mais aparelhos para construção destas próteses, demonstrando a sua popularidade na prática clinica, entretanto, no meio acadêmico ainda são vistas com algumas restrições.

Este material também permite ao paciente sentir que se adapta àquele objeto que, embora estranho e externo, se adapte tanto à mucosa como aos dentes. O seu uso tem cada vez mais sido recomendado pelo facto de usar materiais inovadores, não recorrendo ao uso do metal e por ter características flexíveis o que permite um melhor conforto para o paciente. Para muitos, embora seja considerado o tratamento ideal para o paciente garantindo o conforto e a apresentação estética desejáveis, deveria ser usado como aplicação provisória uma vez que sofre bastante de desgaste, até se encontrar uma maior e adequada adaptabilidade de uma outra resposta para a situação em causa.

Segundo alguns autores em seus estudos afirmam que o uso da resina flexível, traz várias vantagens na confeção de Próteses Dentárias Parciais, quando em casos de próteses provisórias imediatas, por ser um material flexível permite a inserção imediata após a cirurgia, além de ser mais confortável e leve não apresenta risco de fraturas.

B.1.4.-Prótese Parcial Removível Metálica conjugada com Prótese Flexível

Esta apresenta-se como uma conjugação de características das próteses tradicionais com as próteses flexíveis.

Visualmente apresenta um aspeto semelhante ao da prótese tradicional, com a barra de suporte em metal, mas a resina da gengiva artificial é conjugada com o material da prótese flexível estendendo-se para os ganchos, no mesmo material, ou seja, sem ganchos em metal.

Trata-se de uma alternativa para aquelas situações em que não é desejado que os ganchos de metal sejam visíveis sobre os dentes. Possuem menos restrições e limitações que os casos apresentados anteriormente.

Este tipo de prótese mostrou melhorar as situações de desdentados bilaterais promovendo uma melhor estabilidade devido á sua base e aos apoios mais sólidos e ao mesmo tempo melhorando a estética.

Agora que entendemos a definição de estética e próteses removíveis, vejamos os aspectos fundamentais que o profissional de saúde deve ter em consideração ao trabalhar na reabilitação oral

Existem inúmeras opções de tratamento para restaurar a boca parcialmente edêntula. As próteses parciais removíveis (RPD) são uma modalidade de tratamento efetiva e acessível para restaurar a função e a estética. Se a principal razão para procurar tratamento é a necessidade de melhorar a estética, o tratamento deve ser direcionado para a consecução desse objetivo. A falta de reconhecimento das expectativas dos pacientes pode levar ao incumprimento e à falha no tratamento.

O design do RPD é da responsabilidade do médico. Um exame clínico completo antes do tratamento fornece ao clínico todos os dados necessários para o desenho de um RPD biologicamente e esteticamente aceitável. Uma boa comunicação entre o dentista eo técnico dentário garante que o projeto prescrito seja executado corretamente.

Os aspectos estéticos fundamentales que o profesional deve ter conocimiento sao:

1.-Classificação do sorriso:

É importante determinar o tipo de sorriso que o paciente tem, a fim de fazer um diagnóstico adequado e tratamento futuro.De acordo com a visibilidade dos dentes e da gengiva, os tipos de sorrisos podem ser classificados como altos, médios ou baixos.

a.-O sorriso alto ou gengival é aquele que mostra o comprimento cervical total de dentes anteriores superiores e uma faixa de gengiva contígua.

b.-Meio sorriso É o que mostra entre 75 e 100% do comprimento cervical total dos clientes superiores anteriores e apenas a gengiva interproximal.

c.-Baixo sorriso É o que mostra menos de 75% do comprimento cervical total dos dentes superiores anteriores.

Tambem é importante a diferenciação de um sorriso fingido para um sorriso espontâneo. O sorriso ou a chamada social representado, corresponde à expressão voluntária, esse tipo de expressão é usada em circunstâncias como, quando se encontra com uma pessoa ou quando uma fotografia é tirada. O sorriso espontâneo ou não, por outro lado, é involuntário, natural e envolve os músculos faciais e a emoção que se expressa naquele momento. Neste sorriso, o lábio sobe mais do que uma sorriso fingido. O sorriso fingido é usada na maioria dos estudos, dada a sua reprodutibilidade ao longo do tempo.

2.-Análise de sorriso

A avaliação do sorriso no sentido transversal, sagital e oblíquo do espaço é importante.

Ackerman e cols., Criou um software chamado “Smilex mesh”, este programa permite ao profissional, uma análise exaustiva do sorriso empoleirado, tirando uma foto do sorriso do paciente, um caminho é realizado avaliando os seguintes parâmetros: linha média Espaço lateral negativo, linha de lábios, linha de sorriso

2.1 Linha de lábios

O ponto de partida da análise do sorriso é a avaliação da linha labial. Relacione a borda inferior do lábio superior com os dentes anteriores e o tecido gengival.

Para sua avaliação deve ser considerada: o comprimento do lábio superior, elevação do lábio, altura vertical maxilar, largura da coroa.

Em relação ao acima, Tjan classificou a linha labial em:

a.-Alto sorriso: mostra altura total ou comprimento cervical incisal das coroas clínicas dos dentes anteriores superiores e tecido gengival contínuo

b.-Sorriso médio: mostra entre 75 e 100% das coroas clínicas dos dentes superiores anteriores e apenas as papilas interproximais.

c.-Baixo sorriso: mostra menos de 75% das coroas clínicas dos dentes anteriores superiores.15 Esse tipo de sorriso é comum nos homens.

2.2 Linha de sorriso

A linha do sorriso corresponde à relação entre uma curva hipotética que segue o percurso dos bordos incisivos dos dentes anteriores superiores e as pontas da cúspide dos caninos superiores em uma visão frontal, incluindo pré-molares e molares em uma visão oblíqua em relação a para a borda livre do lábio inferior. Essa curvatura parece mais pronunciada nas mulheres do que nos homens, aproximadamente em 1,5 mm, além disso, essa curvatura tende a ficar mais plana com a idade. A linha do sorriso pode ser paralela, plana, reversa ou baixa.

2.3 Simetria do sorriso

A simetria do sorriso refere-se à posição relativa das comissuras em relação ao plano vertical. É vital realizar um rastreamento considerando as linhas medianas facial e interpupilar, a fim de distinguir as diferenças entre um lado e outro da mesma maxila e compará-lo entre ambos os maxilares, para determinar, por exemplo, coincidência ou desvio da linha média facial e odontológica.

2.4 Plano oclusal frontal

O plano oclusal frontal é representado por uma linha que vai da ponta do canino esquerdo até a ponta do canino direito. A visão frontal do sorriso permite ao dentista visualizar as assimetrias esqueléticas transversais relacionadas a peças dentárias

2.5 Avaliação odontológica

Na avaliação do sorriso, a qualidade e a beleza das peças dentárias devem ser analisadas, dentre elas devem ser consideradas: forma do dente, tamanho, cor, alinhamento, linha média. Existem três tipos de dentes, essas formas são influenciadas no contorno gengival

a.-Quadrado: contornos diretos e lóbulos paralelos e ângulos de transição lineares acentuados. Os homens geralmente têm essa forma de dente.

b.-Ovoide: contorno arredondado, sem lobos paralelos e ângulos de transição lineares suaves, apresentando convergência incisiva e cervical, as mulheres apresentam principalmente esse tipo de forma.

c.-Triangular: contorno linear com ângulo de transição linear e lóbulos apontados com convergência para cervical.

3.-Seleção de dentes artificiais

Para devolver ao paciente uma estética agradável, o profissional deve fazer uma prótese muito semelhante aos dentes naturais. A fase da seleção de dentes é complexa, porque envolve muitas variáveis. A seleção dos dentes anteriores é uma tentativa que só será validada pelo profissional no momento do teste estético e funcional. Toda a ajuda disponível deve ser usada nesta etapa, como os registros de dentes naturais previamente obtidos, modelos de gesso e fotografias que podem ajudar o profissional, na seleção do tamanho, forma e disposição dos dentes artificiais. A harmonia na relação entre os dentes artificiais e as demandas estéticas do paciente edêntulo estabelece os critérios que guiarão a seleção dos dentes artificiais: tamanho, forma e cor.

O paciente deve participar de decisões estéticas, porque muitas vezes suas opiniões diferem das do profissional. Um dos principais objetivos na seleção de dentes artificiais é o fabrico de próteses que desafiam a artificialidade.

Berry afirmou que os incisivos centrais superiores correspondem a 1/16 da largura do rosto. Em 1908, Wood descreveu a técnica para a seleção de dentes artificiais para PT, em que o profissional deve marcar os cantos da boca e a linha de sorriso forçado ou linha alta, no plano da cera. A distância entre as duas linhas dos cantos determina a largura dos seis dentes anteriores. A distância entre a linha alta e a superfície oclusal do plano de cera corresponde à altura da face vestibular do incisivo central superior.

A classificação Williams é o método mais universalmente aceito para determinar a forma dos dentes anteriores. Este autor procurou relacionar a forma dos incisivos centrais, com o rosto de indivíduos. A partir deste trabalho surgiu o conceito das três formas básicas de dentes artificiais: quadrado, oval e triangular.

A teoria dentógena refere-se à arte, prática e técnica de criação da ilusão de dentes naturais com próteses artificiais. Para alcançar esse objetivo, eles usaram os seguintes fatores: sexo, personalidade e idade do paciente para determinar a seleção, caracterização e posição dos dentes. As formas femininas devem ser suaves e arredondadas, enquanto as masculinas, vigorosas e retas. O fator idade deve ser adequadamente incorporado na prótese, pela seleção cuidadosa da cor e pela alteração da forma dos dentes artificiais, principalmente na sua porção incisiva, para se assemelhar ao desgaste fisiológico característico da idade.

O tom de pele, a personalidade e as características sexuais dos pacientes são importantes na seleção de cor do dente dos pacientes edêntulos totais. Os pacientes idosos têm dentes mais escuros como resultado da pigmentação causada por alimentos e desgaste do esmalte dentário. Mesmo quando o indivíduo tem dentes naturais remanescentes, é necessário que a seleção de cores seja feita comparando-os com o Escala de cores fornecida pelo fabricante de dentes artificiais que se destina a ser utilizado.

Goiato et al avaliaram a relação entre a forma ea cor do incisivo central superior com a forma do rosto, cor da pele, olhos e cabelos de 191 indivíduos dentados naturais. Os resultados mostraram que os rostos quadrados e retangulares tiveram maior coincidência com forma de dente semelhante; enquanto as formas oval, triangular e arredondada eram as mais discordantes. Eles também observaram que o método de seleção da cor dos dentes por meio da cor da pele, dos olhos e do cabelo não é um indicador confiável no fabrico de próteses dentárias.

4.-Disposição dos dentes

A inclinação dos dentes anteriores é geralmente paralela ao perfil do paciente, devido à pressão que os labios exercem nesses dentes durante o desenvolvimento. A forma do arcade desdentado tem uma relação próxima com a disposição dos dentes anteriores. Os arcos quadrados devem ter dentes com pouca rotação, a presença de diastemas e os caninos devem estar localizados no mesmo plano que os incisivos centrais. Os dentes estreitos ou triangulares tendem a ser inclinados e lotados, devido à falta de espaço no arco. Da mesma forma, os arcos ovais devem ter poucos (ou nenhum) dentes rotativos ou sobrepostos, e os incisivos centrais devem estar na frente dos caninos.

A literatura apresenta um valor médio de 100 graus para o ângulo nasolabial e 140 graus para o ângulo mentolabial, no caso da população branca. Esses dados ajudam no posicionamento dos dentes artificiais de PTs e PPRs.

Sharry descreveu o conceito de separação dentária, que ajuda a alcançar o realismo que os dentistas procuram ao fazer PTs. Durante a fase de depuração dos dentes artificiais, o fio dental passa nas superfícies interproximais dos dentes anteriores; Assim, cada dente é visto como uma entidade distinta na dentadura.

Em relação à localização horizontal dos dentes, Esposito afirma que a superfície vestibular do incisivo central é anterior à papila incisiva de cerca de 8 a 10 mm. As superfícies vestibulares dos dentes artificiais devem ser fixadas em uma posição, com extensão imaginária das raízes. Não deve haver espaço entre os dentes e os lábios durante a função, e os primeiros pré-molares devem promover o suporte à comissura labial. No que diz respeito ao posicionamento vertical, os incisivos centrais superiores devem tocar ligeiramente o lábio inferior quando o paciente proferir sons que incluem as consoantes F e V. Os caninos mandibulares e os primeiros pré-molares devem estar no nível do lábio inferior quando a boca está ligeiramente aberta. As bordas incisais dos dentes anteriores devem se aproximar, mas não devem manter contato durante a produção de sons sibilantes. Se o lábio superior for longo, apenas o limite incisivo dos incisivos centrais superiores deve ser visível; e se é curto, a base eo dente inteiro podem ser vistos.

5.-Caracterização da base de resina acrílica

As dificuldades estéticas encontradas com a base dos PTs são a coloração cor de rosa e a escumalha gengival.

A caracterização das bases das próteses removíveis totais e parciais com resinas acrílicas de tons mais semelhantes aos observados no tecido gengival do paciente possibilita um melhor resultado estético e, consequentemente, favorece a aceitação dessas próteses pelos pacientes.

Em 1998, Reis e outros estudaram a viabilidade de usar materiais de baixo custo e freqüentemente usados em laboratórios, como pigmentos para simular a coloração gengival nas bases. Observaram que os materiais testados tornaram possível a obtenção de 64 tons de cores para sua caracterização.

Gomes desenvolveu uma técnica de caracterização que permite reproduzir a aparência natural da gengiva alveolar, tanto na cera, para testes funcionais e estéticos, quanto no acrílico, através da combinação de cores sobrepostas em camadas sucessivas; O que dá à prótese maior profundidade. Eles também mencionam a caracterização, mesmo dos dentes artificiais, para tornar a prótese tão natural quanto possível.

V.- Discussão

O aumento gradual da expectativa de vida média da população mundial contribuiu para um número crescente de indivíduos edêntulos parciais e totais. Existem diferentes abordagens terapêuticas para reabilitar pacientes edêntulos, em particular o uso de próteses removíveis e fixas e implantes, com o objetivo de restaurar a função mastigatória, melhorar a saúde bucal e a estética do paciente. A reabilitação protética do paciente edêntulo é um grande desafio para o prostodoncista.

PPRs e PTs ainda são altamente indicados como uma opção de tratamento para pacientes que perderam vários ou todos os dentes naturais. A restauração da estética perdida através do tratamento protético envolve várias variáveis, como o perfil psicológico do paciente, o conhecimento científico e a experiência clínica do profissional, bem como os próprios fatores técnicos, como a seleção e disposição de dentes artificiais, contornos e coloração do paciente. as bases acrílicas e a exposição dos retentores metálicos dos PPRs.

Um fator importante que não deve ser esquecido durante o planejamento de retentores estéticos, por exemplo, é a manutenção de seus requisitos biomecânicos, como suporte, retenção, circunscrição, reciprocidade e passividade, porque nada é alcançado com a preparação de um retentor que é imperceptível, mas causa iatrogenias para o dente de suporte.

Em relação à aparência estética das bases e dentes artificiais, autores como Tautin e Esposito coincidem em afirmar que a posição apropriada dos dentes artificiais e o contorno correto das bases acrílicas restabelecem o suporte da musculatura do terço inferior da face , e retornar um perfil agradável para o paciente. Boucher e outros indicam DVO como outro fator responsável por esta restauração. No entanto, na tentativa de melhorar a aparência de rugas e sulcos, os profissionais devem ter cuidado para não aumentar o DVO, pois isso pode ter conseqüências prejudiciais para o paciente, como a incapacidade de se juntar aos lábios e o comprometimento das funções musculares, fonética e mastigação.

O estágio de seleção de dentes artificiais é considerado por vários autores como um estágio complexo e subjetivo, principalmente em pacientes totalmente edêntulos. Normalmente, existe uma relação entre o tamanho dos dentes e as proporções faciais. De acordo com Esposito, essa relação ajuda a selecionar o tamanho dos dentes, mas deve ser usada com conhecimento de que existem muitas variáveis na natureza e que os dentes devem se harmonizar com a face e o tamanho do arco.

A literatura também aceita alguns aspectos da relação de sexo e idade na seleção de dentes artificiais. Esposito também considera que o tom de pele, a personalidade, as características sexuais e a idade do paciente devem ser analisados durante a seleção de os dentes.

As próteses removíveis podem melhorar a qualidade estética, se suas bases acrílicas receberem caracterização e se tornando mais parecidas com o tecido gengival. A caracterização das bases favorece a aceitação da prótese pelos pacientes.

Na Faculdade de Odontologia da Universidade de El Salvador, foi realizado um estudo no qual foram avaliadas a percepção, satisfação e verificação do cumprimento dos parâmetros estéticos da prostodontia total, na qual se constatou que a satisfação total do paciente representa um 80 %, 82,29% para mulheres e 77% para homens, outro estudo em 2006 encontrou satisfação em termos de estética de 91%, 90% para mulheres e 92% para homens. Da mesma forma, na dimensão de satisfação estética, o indicador de cor mostrou que os sujeitos do estudo mostraram apreciação pela cor dos dentes das próteses instaladas, que em sua grande maioria mostraram que estava de acordo com a cor escolhida.

Na composição do sorriso, os incisivos centrais são as partes predominantes, que lhe dá jovialidade, uma situação que varia é quando você já usou as bordas incisais e são os incisivos centrais em proporção aos incisivos e caninos laterais, determina uma aparência idade. Além disso, a quantidade de peças dentárias expostas ao sorriso varia de acordo com a idade, diminui à medida que os anos passam. Nos sorrisos de indivíduos jovens, a exposição das peças anteriores varia de 75 a 100%. A exposição dental varia consoante seja espontânea, se for colocada, sendo menor no último.

Em relação à cor, o número de pessoas que solicitam mudar a cor do dente está aumentando, de modo que o gerenciamento da cor do dente é primordial.

Apesar da difusão da implantologia na reabilitação de pacientes com edêntulas totais ou parciais, um número significativo delas não tem acesso às vantagens oferecidas pelos implantes osseointegrados; seja por razões econômicas, anatômicas, psicológicas ou por problemas de saúde em geral. Desta forma, próteses totais (PTs) e próteses parciais removíveis (PPRs) são opções de tratamento amplamente utilizadas hoje em dia. É necessário prosseguir a obtenção de próteses naturais e personalizadas, a fim de satisfazer as exigências estéticas que a população adquira com o desenvolvimento cultural e o nível social e psicológico; além de proporcionar conforto e função adequados.

Tendo em vista que o sorriso pode ser decisivo na vida pessoal e profissional do indivíduo, é extremamente importante que haja harmonia estética, sem negligenciar os aspectos funcionais.

Durante a preparação de próteses removíveis, o cirurgião dental deve considerar a anatomia fisiológica do rosto e os princípios artísticos, para retornar a aparência natural e um sorriso harmonioso ao paciente. Desta forma, os danos causados pela perda de dentes naturais são reduzidos.

Uma reabilitação dentária de qualquer paciente requer maior atenção, direta ou indiretamente, está ligada à estética e aliada a ela, à função e o conforto são fatores que devem ser considerados para alcançar ou conseguir um tratamento. Para alcançar uma estética agradável e sempre fácil, precisamos obter um aspecto natural, e para alcançar essa característica, devemos procurar técnicas e materiais, tornar-se imperceptíveis ou alterados, para obter melhores resultados quando menos visíveis.

VI CONCLUSAO

Embora existam poucos estudos sobre estética em próteses removíveis, é claro a importância desse elemento, juntamente com o fator funcional, para o sucesso do tratamento. O profissional deve basear-se nos achados científicos existentes e na participação do paciente durante o tratamento para alcançar o resultado estético desejado. Uma prótese removível com aparência natural pode ser obtida pela seleção e disposição corretas dos dentes artificiais, a caracterização das bases acrílicas e nos casos de PPRs, através da camuflagem dos retentores.

Apesar do conhecimento e da capacidade prática de reabilitar a perda de dentes, a Especialidade em Prótese Dental encontra como um grande desafio, a substituição de dentes perdidos que aliam a função à estética. No entanto, a preocupação com a estética não pode interferir com a biomecânica da prótese, até o comprometimento das estruturas orais remanescentes.

Review this essay:

Name
Rating
Your review: (optional)

Latest reviews:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.