Disciplina de Interfaces Pessoa-Máquina - Essay Marketplace

Disciplina de Interfaces Pessoa-Máquina

1. INTRODUÇÃO

O Criobanco pretende a criação de uma pagina web que permita uma maior interação entre os membros do Criobanco e o sistema onde os dados são registados.

O presente documento tem como objetivo definir e planear o design da pagina do Criobanco de acordo com as ideias adquiridas após contacto com o cliente, e após a análise de várias fontes de informação, como uma entrevista realizada, inquéritos efetuados a vários utilizadores e testes de avaliação de protótipos. Este documento baseia-se num processo iterativo, centrado no utilizador e baseado em cenários.

No documento pode ser encontrada uma análise detalhada dos perfis de utilizadores que irão utilizar a pagina web e quais as tarefas mais importantes. Também se encontra uma análise detalhada de três tarefas que foram consideradas fundamentais para a pagina. Por fim, encontram-se os protótipos de baixa e alta fidelidade, assim como os resultados das avaliações heurísticas efetuadas para o protótipo de baixa fidelidade.

1

2. PERFIL DOS UTILIZADORES

Para compreender o público-alvo, que a aplicação a desenvolver irá abranger, foi elaborado um questionário (ANEXO I), complementado com uma entrevista, com perguntas específicas relacionadas com o perfil do utilizador. Procurou-se assim caracterizar os utilizadores com base em dados como: idade, habilitações literárias, frequência na utilização de aplicações fixas/móveis e informações relacionadas com a interação entre o utilizador e a atividade do criobanco. Para além disto, também foram recolhidas informações sobre as preferências dos utilizadores relativamente a tarefas possíveis de realizar dentro e fora do laboratório.

Características

Idade

Habilitações Literárias

Antiguidade no criobanco

Período diário de trabalho

Aprendizagem

Interesse em aprender novos métodos

Dispositivos informáticos mais utilizados

Respostas mais comuns (ANEXO II)

Entre os 18 e os 50 anos

Investigadores com Doutoramento/Mestrado (área das ciências biológicas)

Mais de 5 anos

Parcial

Documentação, Observação e/ou Ensaio/Erro

Alto

Portátil e/ou Smartphone

Semanal

Inglês, Francês e/ou Espanhol

Frequência de utilização de aplicações informáticas no trabalho

Outros idiomas

Aplicações informáticas mais utilizadas no trabalho

Microsoft Excel

Ao perfil de utilizador avaliado também se enquadram os investigadores externos que trabalham em projetos no qual o criobanco é indispensável.

O estudo de perfil realizado também não identificou utilizadores com deficiência física.

3. ANÁLISE DE TAREFAS

3.1 Resposta às perguntas da Análise de Utilizadores e Tarefas (AUT)

3.1.1. Quem são os utilizadores?

O sistema a implementar será utilizado por investigadores (internos e externos) com formação académica nas áreas das ciências biológicas, de diferentes faixas etárias, que desenvolvem projetos de investigação com o apoio do criobanco. O grupo de utilizadores inquirido utiliza diariamente equipamentos móveis para aceder a aplicações, no entanto no sistema atual a utilização das mesmas no local de trabalho têm uma frequência semanal para colocar as informações recolhidas manualmente em formato digital.

2

3.1.2. Quais são as tarefas?

Como tarefas realizadas atualmente pelos utilizadores do criobanco, enumeram-se:

Gerir utilizadores do criobanco

Gerir dados auxiliares do criobanco

Registar e modificar projetos e equipas

Registar e modificar experiências e amostras

Registar e modificar equipamentos

Registar e modificar modos de armazenamento

Registar o enchimento de azoto em cada tanque

Monitorizar tanques e amostras

Pesquisar amostras registadas

Elaborar e imprimir resumos de amostras

Elaborar e imprimir relatórios

3.1.3 Novas tarefas são desejáveis?

Com base na recolha de informação foi possível determinar que os utilizadores encontram-se motivados a absorver novas tarefas e novos métodos de trabalho, com o objetivo de obter um maior rigor no registo de informação dos estudos que desenvolvem. Eis as tarefas atuais e as que são desejáveis:

Registar e modificar utilizadores

Registar e modificar perfis de utilizadores

Registar e modificar permissões de cada perfil

Registar e modificar projetos e equipas

Registar e modificar experiências e amostras

Registar e modificar dados auxiliares do criobanco

Registar e modificar equipamentos e modos de armazenamento

Monitorizar remotamente tanques e amostras (alertas e notificações

Registar o enchimento de azoto em cada tanque

Pesquisar amostras registadas, utilizando como critério quaisquer dos seus atributos

Elaborar e imprimir relatório de consumo mensal de azoto

Elaborar e imprimir resumos das amostras por cada tanque

Elaborar e imprimir de amostras congeladas por mês

Elaborar e imprimir relatório mensal espécies predominantes

3

3.1.4. Como se aprendem as tarefas?

Determinadas tarefas do criobanco exigem uma aprendizagem específica na área das ciências biológicas, requerendo investigadores formados em mestrado ou doutoramento em Biologia estando enquadrados no âmbito dos projetos que desenvolvem, dos instrumentos laboratoriais que usam, das pesquisas/relatórios que realizam ou das interações que detêm com outros investigadores. As seguintes tarefas ajustam-se neste tipo de utilizadores:

Gerir dados auxiliares do criobanco

Registar e modificar projetos e equipas

Registar e modificar experiências e amostras

Registar e modificar equipamentos

Registar e modificar modos de armazenamento

Monitorizar tanques e amostras

Pesquisar amostras registadas

Elaborar e imprimir resumos de amostras

Elaborar e imprimir relatórios

As seguintes tarefas podem ser realizadas por utilizadores técnicos que não exigem totalmente um conhecimento específico das ciências biológicas:

Gerir utilizadores do criobanco

Registar o enchimento de azoto em cada tanque

4

3.1.5. Onde são realizadas as tarefas?

A lista seguinte apresenta como se distribuem as tarefas segundo o local e as condições de

realização:

Tarefas

Gerir dados auxiliares do criobanco Elaborar e imprimir relatórios Pesquisar amostras registadas

Registar e modificar equipamentos

Registar o enchimento de azoto em cada tanque

Monitorizar tanques e amostras

Local de realização

Condições de trabalho

Ambiente controlado, de iluminação e temperatura apropriadas à realização das tarefas. Posição corporal erguida, com utilização de uma mão (no caso de registos), ou ambas as mãos (no manuseio de amostras, etc.). Sem manifestação de ruídos incómodos.

Gerir utilizadores do criobanco

Ambiente cómodo, de iluminação e

temperatura suficientes. Posição Gabinete/Casa corporal sentada e utilizando ambas as mãos. Sem manifestação de

ruídos incómodos.

Elaborar e imprimir resumos de amostras

Registar e modificar projetos e equipas

Registar e modificar experiências e amostras

Laboratório

Registar e modificar modos de armazenamento

3.1.6. Quais as relações entre utilizadores e informação?

A informação registada pode ser utilizada concorrentemente, ou mesmo sendo passada sequencialmente, no entanto só os coordenadores responsáveis pelos projetos, têm responsabilidade na edição/modificação da informação respetiva dos mesmos. Idealmente seria a possibilidade de parte desta informação ser também de visualização remota.

5

3.1.7. Que outros instrumentos têm o utilizador.

Enumeram-se de seguida instrumentos utilizados na realização das tarefas do criobanco:

Tarefas

Gerir dados auxiliares do criobanco Elaborar e imprimir relatórios Pesquisar amostras registadas

Registar e modificar equipamentos

Registar o enchimento de azoto em cada tanque

Monitorizar tanques e amostras

Instrumentos utilizados

Gerir utilizadores do criobanco

Elaborar e imprimir resumos de amostras

Equipamento informático, impressora, cadernos, lápis/canetas

Registar e modificar projetos e equipas

Registar e modificar experiências e amostras

Tanque de armazenamento, depósito de azoto, régua medidora de nível de azoto, goblets, palhinhas, macrotudos, luvas, cadernos, lápis/canetas

Registar e modificar modos de armazenamento

No caso da monitorização do nível de azoto seria importante a existência de um sensor que pudesse detetar um nível crítico de enchimento.

3.1.8. Como se comunicam os utilizadores?

Existindo uma simples hierarquia de supervisor, supervisores intermédios e investigadores, comumente a comunicação ocorre de forma presencial (pontual ou em reuniões) ou por via telemóvel e/ou correio eletrónico. Mas podemos distribuir essa forma de comunicação pelas tarefas:

Tarefas

Gerir dados auxiliares do criobanco

Registar e modificar experiências e amostras

Registar e modificar modos de armazenamento

Comunicação entre utilizadores

Gerir utilizadores do criobanco

Registar e modificar projetos e equipas

Em caso de solicitação de realização de determinadas tarefas, estas são comunicadas por telemóvel ou email

Registar e modificar equipamentos

6

Pesquisar amostras registadas

Elaborar e imprimir resumos de amostras

Registar o enchimento de azoto em cada Outras tarefas podem ser realizadas sem tanque comunicação com outros utilizadores, exceto

Elaborar e imprimir relatórios

Monitorizar tanques e amostras

em caso de situações críticas em que a supervisora é informada por telemóvel.

Não existe um método automático de alertas ou notificações nas tarefas atuais do criobanco, sendo importante um sistema desses no caso da aplicação a desenvolver.

3.1.9. Importância/frequência das tarefas?

Na lista de tarefas seguinte apresentam-se a importância e frequência das mesmas:

Tarefas

Registar e modificar experiências e amostras

Registar e modificar modos de armazenamento

Registar o enchimento de azoto em cada tanque

Monitorizar tanques e amostras

Pesquisar amostras registadas

Elaborar e imprimir resumos de amostras

Importância

Frequência

Gerir dados auxiliares do criobanco

Critica Diária/Semanal

Registar e modificar equipamentos

Gerir utilizadores do criobanco

Importante

Semanal

Registar e modificar projetos e equipas

Normal Mensal

Elaborar e imprimir relatórios

7

3.1.10. Quais as restrições de tempo das tarefas?

Não se verificam restrições que possam influenciar negativamente as tarefas entre si. Existe sim um

encadeamento sequencial dessas tarefas no criobanco:

Ordem Tarefa

1 Gerir utilizadores do criobanco

2 Gerir dados auxiliares do criobanco

3 Registar o enchimento de azoto em cada tanque

4 Registar e modificar projetos e equipas

5 Registar e modificar equipamentos

6 Registar e modificar modos de armazenamento

7 Registar e modificar experiências e amostras

8 Monitorizar tanques e amostras

9 Pesquisar amostras registadas

10 Elaborar e imprimir resumos de amostras

11 Elaborar e imprimir relatórios

3.1.11. Que sucede quando as coisas não correm bem?

Podem ocorrer situações anómalas nas tarefas relacionadas com a monitorização do nível de azoto e enchimento do tanque de armazenamento. Nestas situações o supervisor é informado prontamente. Noutros casos relacionados com as amostras, a forma de atuar comumente será a de nova recolha e reposição do trabalho perdido.

8

3.2 Seleção de tarefas para o desenho (decomposição hierárquica, planos e cenários do problema).

3.2.1. Tarefa 1 – Registar ou modificar equipamentos e modos de armazenamento Decomposição hierárquica:

1. Abrir a tampa do novo tanque

2. Limpar o interior do tanque

3. Inserir 40 litros de azoto líquido

4. Limpar canisters

5. Inserir canisters com goblets no tanque

6. Fechar a tampa

7. Inserir novo tanque no ficheiro MS Excel de registo de amostragens

Plano A:

Fazer 1 – 2 – 3 – 4 – 5 – 6 – 7 por esta ordem.

Cenário da Tarefa 1:

É autorizado o armazenamento no criobanco de um novo projeto de amostragem, ICMAN 2017. Dias antes do armazenamento a Catarina desloca-se ao laboratório e após abrir o tanque atual verifica que o mesmo não tem canisters livres para alocar o projeto autorizado. Assim, para alocar o novo projeto, prepara um novo tanque, limpando o contentor, inserindo 40 litros de azoto líquido, limpando os canisters e colocando-os com goblets vazios no novo tanque. De forma a não se esquecer do procedimento, regista a lápis a preparação deste “novo” tanque no caderno particular de registos, escrevendo a data (25/10/2017), a hora (17:55h) e o no de litros inseridos (40 litros). Mas como já é final do dia e está cansada, só no dia seguinte irá ao computador do seu gabinete. No dia seguinte a Catarina regressa ao laboratório e ocupa-se de tarefas relacionadas com a sua investigação de estudo dos cavalos-marinhos na Ria Formosa. Horas após lembra-se que necessita de registar o novo tanque do criobanco. Após chegar ao gabinete, abre o ficheiro MS Excel (ANEXO III) de registo de amostragens, cria novo separador, dá-lhe o nome de “Tanque 2” e formata nesta nova folha Excel uma nova tabela, pronta para futuros registos de amostragens. Fecha o ficheiro e abre outro contendo uma tabela de registo de nível de azoto, imprimindo-o de seguida. Quando impresso regista manualmente nesta folha de papel os dados apontados no caderno particular. Horas após este processo a Catarina desloca-se novamente ao laboratório e fixa na parede do “novo” tanque, com fita-cola, a folha impressa.

9

3.2.2. Tarefa 2 – Monitorizar tanques e amostras Decomposição hierárquica:

1. Abrir a tampa do tanque

2. Verificar estado das amostras

a. Retirar canisters um a um

b. Verificar estado dos goblets contendo amostras

c. Recolocar goblets e canister no tanque

3. Verificar nível de azoto

a. Inserir a régua medidora de nível de azoto

b. Retirar régua e verificar o nível marcado

4. Fechar a tampa do tanque

5. Registar o valor recolhido e data de recolha na folha de controlo de nível de azoto

6. Se nível de azoto baixo, colocar mais azoto

7. Se for detetada alguma situação anómala alertar a supervisora

Plano A:

Fazer 1 – 4 – 5 por esta ordem, sendo 2 ou 3 em qualquer ordem, quando valor de azoto baixo fazer 6, se algo estiver diferente do normal fazer 7.

Plano B:

Fazer 2.a – 2.b – 2.c por esta ordem. Plano C:

Fazer 3.a – 3.b por esta ordem.

Cenário da Tarefa 2:

A Patricia tem como tarefa mensal a monitorização do nível de azoto do tanque do criobanco. Para tal desloca-se ao laboratório onde se encontra o tanque e realiza a tarefa. Abre a tampa do tanque e insere no interior uma régua medidora do nível de azoto. Após recolher a régua, lê o valor de 35,5 litros marcado na régua. Procede então ao registo manual, numa tabela em folha de papel junto ao tanque, do valor lido de 35,5 litros, com data de 23/10/2017, às 10:05h, assinando o seu nome no fim da linha de registo. Verifica que o valor de azoto lido é demasiado baixo para o valor normal convencionado (40 litros). Então recorre ao depósito de azoto líquido e coloca mais quantidade de azoto no tanque, utilizando a régua medidora como ferramenta de confirmação. Após confirmar que o tanque tem os 40 litros de azoto pretendidos, regista o procedimento de enchimento na folha de registo de nível, no campo de “Observações”, com o número de litros colocados. Mas verifica que algumas gotas de líquido desbotaram alguns valores escritos a caneta, na folha em papel de registo de azoto, tornando-os impercebíveis. Para que não haja dúvidas rasura os valores desbotados e volta a escrevê-los numa nova linha da folha. Entretanto também confirma que o depósito de azoto líquido ficou com quantidade insuficiente para uma posterior recarga do tanque. Perante este facto a Patricia contata a Prof.a Elsa, para o telemóvel (no 999 999 999) e informa a mesma desta situação.

10

3.2.3. Tarefa 3 – Elaborar e imprimir relatório mensal de espécies predominantes Decomposição hierárquica:

1. Aceder ao ficheiro de MS Excel contendo o registo de amostragens

a. Ordenar a tabela por espécie

b. Contar o número de amostras de cada espécie no último mês

c. Apontar os valores numa nova folha de MS Excel

2. Consultar os cadernos particulares e contar os restantes valores de espécies

3. Apontar os dados dos cadernos na nova folha MS Excel

4. Criar gráfico com a informação das contagens

5. Imprimir o gráfico para a impressora

Plano A:

Fazer 1 – 2 – 3 – 4 – 5 por esta ordem. Plano B:

Fazer 1.a – 1.b – 1.c por esta ordem.

Cenário da Tarefa 3:

No prazo de alguns dias vai decorrer a reunião mensal do Centro de Ciências do Mar – CCMAR – e a Prof.a. Elsa Cabrita precisa de apresentar o relatório com as espécies predominantes que foram armazenadas no criobanco durante o mês de Setembro de 2017. Neste relatório pretende inserir num formato gráfico o número de espécies predominantes. Para tal, no seu gabinete, abre o ficheiro MS Excel contento todo o registo de amostragens até à data atual e ordena a tabela pela coluna “Espécie”. Com a coluna ordenada contabiliza manualmente o número de campos (da coluna) contendo o mesmo nome de espécie, armazenadas entre 01/09/2017 e 30/09/2017, e escreve os valores numa tabela de uma nova folha do ficheiro Excel. Mas esta contagem não está completa, pois algumas das informações que necessita ainda não estão registadas no ficheiro e estão ainda escritas nos cadernos particulares dos investigadores. Assim telefona a cada investigador e questiona as espécies e a quantidade destas para poder adicionar aos dados já compilados. Quando termina os telefonemas adiciona os valores recolhidos aos valores aos já contabilizados do ficheiro Excel. Após a conclusão desta contagem, cria no Excel um novo gráfico tendo como “Origem dos Dados” as contabilizações das espécies registadas. Depois da criação deste gráfico, seleciona-o e copia-o para o relatório que está a criar, inserindo um legenda explicativa. No final de concluído o relatório faz a sua impressão em papel.

11

4. 4.1

4.2

• • •

MODELO CONCEPTUAL

Metáforas possíveis

Caderno de apontamentos Formulário em papel Folha de calculo digital

Modelo Conceptual

4.2.1. Metáfora (física)

“Um criobanco é um banco de recursos genéticos, com a função de armazenar e preservar o

material biológico” registado num formato tabelar de uma folha de calculo digital.

4.2.2. Conceitos

• Utilizador

• Projeto

• Experiência

(CrioXI, dietas, CrioIV)

• Amostra

• Procedência

(IPMA, Ramalhete, Cadiz)

• Espécie

(Dourada, robalo, linguado)

• Protocolo

• Equipamento

(Tanque, Goblets, Canisters)

• Modo de armazenamento

(Palhinhas, Criotubos/Crioviais)

4.2.3. Relações entre conceitos

• Um utilizador pode registar vários projetos;

• Um projeto pode ter várias experiências;

• Uma experiência pode ter várias amostras;

• Uma amostra tem uma espécie;

• Uma experiência tem vários protocolos;

12

4.3

• Uma experiência pode ter vários modos de armazenamento;

• Cada equipamento pode ter vários projetos;

• Cada equipamento pode ter vários equipamentos;

• Cada equipamento pode conter vários modos de armazenamento;

• O utilizador faz manutenção do equipamento;

• O utilizador pode fazer vários relatórios;

• Um relatório pode ter vários dados dos projetos;

• Cada modo de armazenamento só pode ter uma amostra;

4.2.4. Mapeamentos

Inserir tanque <-> Escrever informações do tanque em papel

Gerar relatório de Espécies <-> Consultar cadernos com informações Mensagens para colegas <-> Enviar uma carta

Cenários de Atividade

Tarefa 1 – Registar ou modificar equipamentos e modos de armazenamento

A Catarina precisa reservar espaço de armazenamento no criabanco para um novo projeto de investigação. Desloca-se ao laboratório e verifica que o “Tanque 1” já se encontra completo de armazenamento. Assim, para armazenar o novo projeto necessita de prepara um novo tanque, a que dá o nome de “Tanque 2”. Limpa o contentor, insere 40 litros de azoto líquido, limpa os canisters e coloca-os com goblets vazios no novo tanque, reservando os canisters 1 e 2 para o futuro projeto. De seguida, através do computador portátil do laboratório, autentica-se no sistema de “Gestão do Criobanco”.

Tarefa 2 – Monitorizar remotamente tanques e amostras

A Patrícia tem como tarefa mensal monitorizar o nível de azoto dos tanques do Criobanco. Para tal a Patrícia, a partir do computador portátil do seu gabinete na UAlg, acede à pagina web de gestão do Criobanco e repara no alerta de notificação que mostra que um dos tanques se encontra com um valor baixo de azoto, assim sendo a Patrícia desloca-se ao laboratório para realizar o respetivo enchimento do tanque de forma a este voltar aos valores normais de azoto. De volta ao gabinete a Patrícia regista a quantidade de azoto adicionada ao taque e envia uma notificação para a Prof.a Elsa para a informar desta situação e das alterações feitas.

Tarefa 3 – Elaborar e imprimir relatório mensal de espécies predominantes

No prazo de alguns dias vai decorrer a reunião mensal do Centro de Ciências do Mar – CCMAR – e a Prof.a. Elsa Cabrita precisa de apresentar o relatório com as espécies predominantes que foram armazenadas no Criobanco durante o mês de Setembro de 2017. Como sabe que alguns investigadores estão fora de Portugal, contacta os mesmos e solicita-lhes que registem, ou atualizem, até ao final do dia, na pagina web do Criobanco, as informações que pretende para calculo das espécies predominantes. No dia seguinte, no seu gabinete, autentica-se no sistema do Criobanco,

13

seleciona as datas de inicio e de fim das quais quer os relatórios de espécies predominantes e pede para exportar o resultado deste relatório como um ficheiro PDF que pode posteriormente vai imprimir e levar para mostrar na reunião que vai acorrer daqui a alguns dias.

4.4 Especificações de Usabilidade

Tarefa 1 – Registar ou modificar equipamentos e modos de armazenamento

Aplicadas neste caso nalgumas sub-tarefas críticas para a Tarefa 1:

1. A Catarina autentica-se no sistema;

2. A Catarina procura pela parte do sistema que introduz um novo tanque;

3. A Catarina insere os dados referentes ao novo tanque;

4. A Catarina faz o registo de azoto na pagina web do Criobanco;

Tarefa 1 (sub-tarefas)

1

2

3

4

Métrica de usabilidade

45 segundos, 0 erros

30 segundos, 0 erros

90 segundos, 0 erros

60 segundos, 1 erros

Experiência de utilização

(satisfação)

Autenticação feita com sucesso.

Opções apresentadas de forma clara.

Colocar informações sem desformar.

Facilidade em aceder às funções.

Tarefa 2 – Monitorizar remotamente tanques e amostras

Aplicadas neste caso nalgumas sub-tarefas críticas para a Tarefa 2:

1. A Patrícia autentica-se no sistema;

2. A Patrícia verifica o nível de azoto na aplicação do Criobanco;

3. A Patrícia realiza a atualização no sistema da quantidade de azoto que adicionou;

4. A Patrícia envia uma notificação para a Prof.a Elsa a informar das atualizações que realizou no sistema;

Tarefa2 (sub-tarefas)

1

2

Métrica de usabilidade

30 segundos, 0 erros

25 segundos, 0 erros

Experiência de utilização

(satisfação)

Autenticação feita com sucesso.

É fácil realizar a tarefa dentro do tempo pretendido.

14

3 60 segundos, 1 erros Aceder dentro do tempo determinado.

4 120 segundos, 0 erros Colocar informações sem erros.

15

Tarefa 3 – Elaborar e imprimir relatório mensal de espécies predominantes

Aplicadas neste caso nalgumas sub-tarefas críticas para a Tarefa 3:

1. A Elsa autentica-se no sistema;

2. A Elsa escolhe o tipo de relatório que deseja elaborar;

3. A Elsa seleciona as datas entre as quais quer que o relatório seja relacionado;

4. A Elsa exporta o relatório no formato PDF;

Tarefa3 (sub-tarefas)

1

2

4

5

Métrica de usabilidade

45 segundos, 0 erros

30 segundos, 0 erros

90 segundos, 1erros

30 segundos, 0 erros

Experiência de utilização

(satisfação)

Autenticação feita com sucesso.

É fácil realizar a tarefa dentro do tempo pretendido.

Tarefa realizada com sucesso dentro do tempo pretendido.

Completar a tarefa

5. A Elsa imprime o relatório;

3

45 segundos, 0 erros Tarefa não pode conter qualquer erro e tem de ser feita dentro do tempo.

16

5. EVOLUÇÃO DOS PROTÓTIPOS 5.1 PBF – Protótipos de baixa fidelidade

Tarefa 1 – Registar ou modificar equipamentos e modos de armazenamento (exemplo: inserir novo tanque de armazenamento e registar respetivo nível de azoto)

Ecrãs:

17

Cenário de interação:

A Catarina autentica-se na aplicação e seleciona o menu “Equipamentos”, escolhendo de seguida o submenu “Tanques”. No botão “Inserir tanque” inicia o procedimento de inserir novo tanque. Regista o novo “Tanque 2”, preenchendo os campos de “Nome”, Data de ativação”, quantidade de litros na “Capacidade” e Número de “Canisters”, selecionando no final o botão “Gravar”. Após a mensagem de “Informação gravada com sucesso” seleciona o submenu “Registo de azoto” e escolhe depois o botão “Inserir registo”. Regista a informação de azoto referente ao novo “Tanque 2” preenchendo os campos “Data”, “Hora”, “Tanque” e quantidade de litros em “Nível”, selecionando no final o botão “Gravar”. Após a mensagem de “Informação gravada com sucesso” sai da aplicação.

Tarefa 2 – Monitorizar remotamente tanques e amostras (monitorizar nível de azoto) Ecrãs:

18

Cenário de interação:

A Patricia autentica-se na aplicação e recebe um alerta informando que o “nível de azoto do tanque 1 encontra-se em baixo”. Após verificar in loco a situação, entra na aplicação, seleciona o menu “Equipamentos” e escolhendo de seguida o submenu “Registo de azoto”. Escolhe depois o botão “Inserir registo”. Regista a informação de azoto referente ao “Tanque 1” preenchendo os campos “Data”, “Hora”, “Tanque”, quantidade de litros em “Nível” e comenta no campo “Obs” (observações) que procedeu ao “enchimento dos litros” necessários ao nível correto, selecionando no final o botão “Gravar”. Após a mensagem de “Informação gravada com sucesso” seleciona o separador lateral “Notificações”, preenche o campo de texto livre reportando a ocorrência. Seleciona o botão “Enviar” e assim notifica a Prof.a Elsa desta situação, sendo que esta notificação será também enviada via SMS. Depois sai da aplicação.

Tarefa 3 – Elaborar e imprimir relatório mensal de espécies predominantes Ecrãs:

Cenário de interação:

A Prof.a. Elsa autentica-se no sistema, seleciona o menu “Relatórios” e escolhe o submenu “Espécies predominantes”. De seguida escolhe a “Data de Início” e a “Data de Fim” do mês pretendido, selecionando depois o botão “Calcular”. Já com a tabela de cálculo completa e o gráfico criado, na janela da aplicação, seleciona o botão “Exportar”, que converte os dados visualizados para um ficheiro em formato PDF, pronto a ser impresso.

19

Storyboard – Tarefa 1 – Registar ou modificar equipamentos e modos de armazenamento (exemplo: inserir novo tanque de armazenamento e registar respetivo nível de azoto)

5.1.1 Análise do PBF

Tabela de avaliação Heurística do PBF

Descrição do Problema

Inexistência de cancelar, undo- redo sendo necessário voltar ao menu anterior para refazer a ação

Viola Heurística(s)

H2-3

Solução sugerida

Grau de Severidade

Quando se conclui uma ação H2-1 não existe botão de ok nem

indicação de tempo de espera,

forçando o utilizador a esperar

um tempo desconhecido para o menu desaparecer.

Colocar um botão de 3 confirmação e mostrar o

tempo de espera.

Colocar botão de cancelar 2 e/ou undo-redo

Não existe referencia ao recetor de notificações nem referencia à

H2-6 Colocar uma secção que 2 mostra o recetor e a

funcionalidade da

20

utilidade de das notificações.

Em caso de palavras mal escritas ou símbolos inadequados o utilizador não recebe nenhuma informação acerca disso.

Análise do PBF

H2-9

notificação.

Ter os campos de texto com 1 restrições de letras e os

símbolos estarem devidamente identificados.

Não existe um botão de ajuda H2-10 Colocar o botão de ajuda na 3 geral, apenas botão de ajuda barra de menu inicial

centrada em algumas ações.

Nas tabelas acima encontram-se as correções propostas por dois grupos, relativamente ao protótipo de baixa fidelidade (PBF) apresentado. Relativamente ao problema da inexistência de um botão para remover a notificação de aviso, que desaparecia automaticamente passados 3 segundos, depois de realizada uma ação, resolvemos substituir por outra opção de forma a poder dar liberdade ao utilizador na utilização no sistema. No problema de falta de existência de um botão de “undo-redo” decidimos não optar por aplicar essa sugestão completamente, mas optámos por adicionar um pequeno botão “limpar” no canto inferior da janela para desta maneira termos mais uma ferramenta de acessibilidade ao utilizador. No caso das notificações e da falta de recetor para as notificações optámos por criar um campo que nos deixa escolher qual o grupo de utilizadores destinatários da mensagem. O problema de nos campos de preenchimento livre não existir aviso para as limitações de caracteres especiais nada foi aplicado pois como o próprio nome indica é um campo de preenchimento livre, que se destina à permissão do utilizador poder escrever o que entende sem que o sistema o limite. Por último temos o problema de não existir um botão de ajuda no menu inicial. Decidimos não realizar esta alteração pois o nosso sistema já tem ajudas contextualizadas nos locais onde pode existir algum tipo de dúvida, pois consideramos que é mais fácil o utilizador ter ajuda nos locais onde podem surgir as dúvidas do que no menu inicial onde o utilizador terá dificuldade de acesso no momento em que surgir a dúvida.

21

5.2 PAF – Protótipos de alta-fidelidade

• Janela de autenticação à aplicação

22

Tarefa 1 – Registar ou modificar equipamentos e modos de armazenamento • Sub-tarefa – inserir registo de azoto de novo tanque.

PBF

PAF

23

Tarefa 2 – Monitorizar remotamente tanques e amostras (monitorizar nível de azoto) • Receção de alerta de nível baixo de azoto

PBF

PAF

• Sub-tarefa – Envio de mensagens de notificação

24

Tarefa 3 – Elaborar e imprimir relatório mensal de espécies predominantes

PBF

PAF

5.2.1 Análise do PAF

Para o problema dos ícones de selecionar as datas, maior parte dos utilizadores carregava em cima do ícone em vez de clicar no espaço para preencher dai colocámos de maneira a ser possível clicar também em cima do símbolo para preencher o campo. Também no teste com os membros do Criobanco vimos que eles queriam que fosse possível exportar os relatórios para o Excel ou Word, e nós nas alterações ao protótipo de alta fidelidade(PAF) fizemos também essa alteração. Uma das maiores alterações ao sistema foi o método de enviar notificações que muitas pessoas como não tinham nunca utilizado o sistema não acharam pratico o tipo de menu que estavamos a utilizar onde saia um pop-up do lado direito do ecrã retiramos e colocamos uma pequena aba no submenu superior da nossa pagina, onde também adicionamos o tipo de notificação (o nome foi alterado para mensagem para facilitar o utilizador), mudámos também a cor de submenu para o destacar um pouco mais. Por ultimo, alterámos os valores dos níveis de azoto de maneira a este colocar logo os valores que foram enchidos e não os finais do enchimento facilitando assim a leitura e o uso dos membros.

25

6. TESTES COM UTILIZADORES

Foi pedido a cinco utilizadores para testarem o Protótipo de Alta Fidelidade (PAF) através da realização das três tarefas já previamente descritas e utilizadas para o Protótipo de Baixa Fidelidade (PBF). Foram medidos os tempos de realização de cada tarefa, assim como o número de erros cometidos, que correspondem às métricas de usabilidade anteriormente definidas.

Na tarefa de realização de registar e modificar equipamentos e amostras, todos os utilizadores ficaram abaixo do tempo máximo previsto, e foi cometido no máximo um erro por utilizador, pelo que estes valores correspondem aos estimados.

Na tarefa de monitorizar remotamente tanques e amostras, estimou-se um tempo de 235 segundos, sendo que nenhum dos utilizadores ultrapassou esse tempo, mas um deles ultrapassou por 1 o limite de erros que tínhamos definido (1 erro). No geral as estimativas encontram-se corretas de acordo com valores esperados.

Na tarefa de elaborar e imprimir um relatório mensal de espécies predominantes, todos os grupos cumpriram o limite de tempo imposto e apenas um dos grupos deu 1 erro, que está dentro do limite que definimos.

Também durante os testes com utilizadores, pedimos para eles avaliarem a nossa página com um grau de satisfação de 1 a 6 (nada satisfeito e muito satisfeito, respetivamente), sendo que todos os utilizadores avaliaram o nosso sistema com nota de 4 ou superior, sendo isto uma primeira utilização, ficamos bastante satisfeitos com os resultados obtidos, pois a maior parte dos utilizadores comentaram que caso tivessem utilizado o sistema mais do que uma vez dariam uma avaliação superior.

Tendo em conta estes resultados, as estimativas realizadas inicialmente aparentam ser adequadas para as tarefas em questão, concluindo-se que os erros realizados pelo utilizador na segunda e terceira tarefas provavelmente se deveram a distrações.

Utilizador

2

Tarefa

Tempo

(segundos)

No de erros

Grau de Satisfação

(1 – nada satisfeito a 6 – muito satisfeito)

Quadro de avaliação com os utilizadores

1

1 170 1 4

2 220 2 4

1 62 0 5

2 76 1 5

3 50 0 4

26

3 20 0 5

2 111 2 5

1 125 1 5 4 2 95 1 5 3 36 0 5

2 58 1 5

7. CONCLUSÕES

Através da criação deste documento foi possível definir e planear o design da página para o Criobanco. Para a realização dos protótipos acima apresentados foram realizados e distribuídos questionários, e a análise das respostas aos mesmos permitiram determinar quais as tarefas mais importantes de forma a colocar essas mesmas tarefas no início da página web criada. Estes questionários permitiram chegar aos PBF apresentados, sendo estes avaliados por diferentes utilizadores de modo a obter um feedback e a melhorar os mesmos. Através da análise das avaliações heurísticas efetuadas foi possível chegar ao PAF.

De modo a obter uma avaliação heurística mais genérica dever-se-ia ter efetuado uma avaliação com uma maior amostra de utilizadores, o que nos permitiria ter uma melhor noção dos problemas fundamentais nos protótipos.

Com o objetivo a determinar se os objetivos iniciais foram cumpridos, foram realizados vários testes com utilizadores, sendo alguns deles elementos do Criobanco e comparados os resultados obtidos dos mesmos com as métricas definidas no início do projeto. Esses mesmos testes deveriam ter sido efetuados com um maior número de utilizadores, de forma a obter resultados representativos da população. De modo geral considera-se que os objetivos inicialmente propostos foram atingidos.

Com este trabalho conseguimos perceber que esta pagina pode ser retirada do circulo da universidade e utilizar esta base a um nível externo de forma a aproveitar melhor assim os recursos se assim for pretendido.

Review this essay:

Name
Rating
Your review: (optional)

Latest reviews:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.